31 março 2013

Frases Soltas...


"Chorar funciona mais ou menos enquanto dura. Porém mais cedo ou mais tarde, é preciso parar de chorar e tomar uma decisão."

C.S. Lewis, A Cadeira de Prata - As Crônicas de Nárnia.

25 março 2013

{Resenha} Lola e o Garoto da Casa ao Lado


Lola e o garoto da Casa ao Lado é um livro rápido, divertido e muito prazeroso. Stephanie Perkins – famosa pelo livro Anna e o Beijo Francês – consegue nos envolver com uma história leve e apaixonante.

Somos apresentados a Lola Nolan, adotada por seu tio juntamente com seu companheiro, muito criativa, e que através de seu visual representa tudo o que sente e pensa. Lola tem uma vida quase perfeita, namora o estiloso Max vocalista de uma banda de rock, tem uma melhor amiga para todos os momentos e já está desenvolvendo o projeto de seu vestido de formatura que será grandioso, seu maior problema é a superproteção dos pais.

"– Valorizam demais o que é perfeito. Perfeição é um tédio." (pg. 18)

Mas logo sua vida da uma reviravolta com a volta de seus ex-vizinhos. Os gêmeos da família Bell já fizeram parte da vida sua vida, Caliope a estonteante ex-melhor amiga (atual inimiga) e Crickett o geek mais perfeito do mundo e primeira desilusão amorosa de Lola.

Mesmo estando apaixonada por Max, Lola se sente confusa em relação a Crickett. E por mais que ela tente fugir os dois acabam sempre se esbarrando, que são os momentos mais divertidos e fofos do livro. Além disso, sua mãe biológica apronta mais uma de suas confusões deixando a garota ainda mais perturbada. E lá se vai uma vida (quase) perfeita...

A forma como os fatos são narrados é viciante tornado impossível largar o livro antes das páginas finais, você acaba por mergulhar nesse mundo fabuloso e cheio de confusões de Lola. As personagens, até mesmo as secundarias são bem trabalhadas que chegam a parecer reais e você se envolve em todas as situações vivida por elas.

Adorei a família incomum de Lola que tem dois pais e lida muito bem com isso, também toda sua paixão por moda de uma forma verdadeira como uma necessidade de se expressar, e sua personalidade que não se deixa abalar pela opinião alheia.

"Não acredito em moda. Acredito em figurino. A vida é curta demais para sermos a mesma pessoa todos os dias.” (pg. 10)

O romance é tão fofo, engraçado e até com alguns dramas, terminei com um sorriso no rosto. Um livro original e doce! Recomendo sem medo. Sempre tive vontade de ler Anna e o Beijo Francês e como os protagonistas fazem uma participação em Lola e o Garoto da Casa ao Lado só aumentou a minha vontade, e se for tão bom quanto este tenho certeza que vou amar!


Classificação:
Ótimo

Lola e o Garoto da Casa ao Lado - Stephanie Perkins
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581630533
Ano: 2012
Páginas: 288
Skoob: Aqui

20 março 2013

Cinco Clipes Fofos

Oi pessoal! Hoje o assunto é música, sou uma viciada compulsiva do YouTube e pelas minhas andanças sempre encontro muita coisa legal, e estreando essa tag - que pretendo postar com alguma frequência - venho mostrar pra vocês os cinco clipes mais fofos que encontrei por lá! Espero que vocês gostem tanto quanto eu.



Quem tiver alguma dica é só falar, adoro conhecer novas músicas!

15 março 2013

{Resenha} Cinquenta Tons de Liberdade


(Cuidado! Essa resenha pode conter spoilers de Cinquenta Tons de Cinza e Cinquenta Tons Mais Escuros
 É com muito pesar que faço a resenha de Cinquenta Tons de Liberdade, não por ter me decepcionado, pelo contrário... Deixe-me explicar melhor: quando comecei a ler essa trilogia com Cinquenta Tons de Cinza eu não tinha ideia do que esperar, sabia que se tratava de um livro polêmico cheio de admiradores e haters, mas resolvi dar uma chance para tirar minhas próprias conclusões. O primeiro volume apesar de ser irritante e superficial me fez ter vontade de continuar mesmo sem grandes expectativas para o segundo, mas quando li Cinquenta Tons Mais Escuros soube que estava em um caminho sem volta e que E. L. James acabara por me conquistar.

Comecei o último volume cheia de expectativas, que graças a Deus foram supridas. Para piorar acabei me apegando mais ainda a esse universo, e me despedir não foi fácil. Não havia como arrastar a leitura, cada maldita página era um mistério resolvido, o surgimento de outro, uma nova informação e assim elas foram devoradas acabando com minhas noites tranquilas de sono.

O livro inicia-se algum tempo depois do final do antecessor, nos colocando no meio da estória sem muitas explicações, mas a autora utiliza alguns flashbacks para nos deixar a par de tudo o que aconteceu. Eu realmente gostaria que tudo fosse narrado, mas a passagem de tempo foi necessária, pois muita coisa acontece e com o detalhamento tudo acabaria muito monótono e a trilogia acabaria sendo uma série.

Anastasia e Christian Grey estão felizes juntos apesar de todas as dificuldades de sua relação e do passado de Christian que continua a atrapalha-los. Ambos assumiram o risco dessa paixão e com toda a persuasão de Ana, que está disposta a juntar todos esses fragmentos da estória de Grey e junta-los para que eles possam então seguir em frente, aos poucos vamos descobrindo a verdade e tudo fica mais claro.

Mas uma “nova” ameaça está colocando em risco a vida de ambos assim como de todos ao seu redor, após o incêndio ocorrido na empresa de Christian e a sabotagem em seu helicóptero Charlie Tango ele se vê encurralado, sua mania por controle transborda e vemos seu lado mais protetor e paranoico, o que é motivo da maioria das brigas do casal, que eu particularmente adoro, elas são tão divertidas e tensas nunca acabam como você espera.

Sou apaixonada pela dinâmica deles, adoro seus momentos melosos, as discussões acaloradas, e os e-mails que são uma delicia de ler, além da química sufocante. É realmente difícil pensar em um casal tão diferente, mas que ao mesmo tempo se complementa e se entende de diferentes formas e tão profundamente. O romance de fato me convenceu e muito.

Ana aparece ainda mais madura, decidida, corajosa e cheia de personalidade, toda minha aversão do primeiro livro por ela foi extinta, além de sua sensibilidade em fazer com que Christian se abra para ela. E por falar nele... Mr. Grey nunca decepciona, e quando o faz se redime e nos faz suspirar ainda mais, me pergunto como alguém pode ser tão poderoso e inseguro, controlador e frágil, frio e sensível, frustrante e irresistível, e ai estão apenas alguns dos adjetivos que cabem a essa personagem, que se tornou uma das minhas favoritas por toda sua complexidade.

Temos mais ação nesse livro, mais movimento e muita informação para assimilar. As cenas hots continuam presentes com muito romantismo, mas sem perder a pitada de BDSM e o estilo de Christian. Ficamos a par de todos os mistérios, as pontas soltas são unidas, muitas dificuldades surgem e seu desenrolar é interessante. O final foi bem satisfatório e gratificante, chave de ouro mesmo!

A trilogia pra mim foi uma leitura bem gostosa, longe de ser impecável, mas a evolução da autora é visível e apesar de tudo conseguiu me fazer gostar bastante da estória em si se tornando um dos meus romances prediletos (isso mesmo, e não adianta olhar de cara feia, não vai mudar minha opinião, haha). O segundo livro com certeza acabou sendo meu favorito, mas o encerramento também manteve o nível, apenas o primeiro não é tão satisfatório.

Acabo o romance de Christian e Ana com muita saudade das discussões, das reconciliações, dos e-mails, das personagens secundárias, do meu Mr. Grey... Bem é melhor eu terminar por aqui antes que fique ainda mais sentimental. Ah, só não vou sentir saudades de duas coisas a Mrs. Robinson e a deusa interior da Ana.

Fazendo um parênteses: muitas vezes julgamos, criamos pré-conceitos, nos sentimos superiores por ler determinado tipo de livro, mas quando você menos espera uma trilogia que tinha tudo para ser mais um best-seller fútil e clichê acaba por te divertir, emocionar, te faz sorrir feito uma idiota enquanto lê, te faz torcer e sangrar pelas personagens... E o que mais um livro precisa? Se ele me diverte já foi válido, ele não necessita mudar sua vida, ser perfeito, ou sei lá... É aí é que está toda a magia do mundo literário, as surpresas, as diferenças. Então um conselho: não se prenda a opinião alheia, não é porque a critica de tal blog, tal pessoa, tal jornal diz que algo não é bom que você seja obrigado a concordar, não tentar ou ter vergonha em assumir que gosta. Tente, você pode ter uma doce surpresa.


P.S. Não se sou a única, mas estou de saco cheio de ler argumentos agressivos e desnecessários contra a trilogia e os fãs, andam confundido crítica com ofensa. Como diria Betty White: “Não entendo por que as pessoas sempre são tão anti alguma coisa. Cuide da sua própria vida, e não se preocupe com os outros.".


Classificação:
Ótimo

Cinquenta Tons de Liberdade - E. L. James
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580572162
Ano: 2012
Páginas: 544
Skoob: Aqui

03 março 2013

Frases Soltas...

"À vezes, quero morar numa ilha deserta. De verdade. Sem ninguém por perto numa distância de centenas de quilômetros. Apenas eu, o oceano, a areia e um coqueiro.

E, talvez uma Tv 37 polegadas de alta definição, com uma antena parabólica e um PlayStation com uma fita de Bandicoot, para quando eu ficasse de saco cheio."

Meg Cabot, O Diário da Princesa.

31 janeiro 2013

[Inspire-se] Cupcakes Literários

Oi pessoal, trago pra vocês hoje um post de dar água na boca! Assim como todo mundo eu amo cupcakes, e foi vagando pela internet que achei esses que unem meu amor pelo docinho e os livros :) Espero que gostem!


Daria até pena de comer, haha!

28 janeiro 2013

{Resenha} O Nome do Vento




É difícil começar uma resenha de um livro que você tenha gostado muito, fico com receio de que minhas palavras não sejam o suficiente para descrever com exatidão tudo o que senti por ele, que de longe se tornou um dos meus favoritos.

O Nome do Vento - primeiro livro da trilogia A Crônica do Matador do Rei - foi uma maravilhosa surpresa para mim. O título atrativo a capa e sinopse instigantes me chamaram atenção há muito tempo, mas com seu infinito talento Patrick Rothfuss fez um livro que vai além de uma simples estória, ultrapassando os limites do papel e tocando fundo a alma do leitor, uma verdadeira obra prima.

Kvothe é uma lenda dos Quatro Cantos da Civilização todos o conhecem, mas sua estória já foi tão distorcida pelo povo que ninguém sabe qual delas é a real somente ele. Ao conhecer um Cronista, Kvothe vê a oportunidade de poder revelar a verdade sobre si.

“Já resgatei princesas de reis adormecidos em sepulcros. Incendiei a cidade de Trebon. Passei a noite com Feluriana e saí com minha sanidade e minha vida. Fui expulso da Universidade com menos idade do que a maioria das pessoas consegue ingressar nela. Caminhei à luz do luar por trilhas de que outros temem falar durante o dia. Conversei com deuses, amei mulheres e escrevi canções que fazem os menestréis chorar. Vocês devem ter ouvido falar de mim." (pg. 58)

Ele cresceu com seus pais na trupe de artistas nômade chamada Edna Ruh (uma espécie de ciganos), um garoto curioso, extremamente inteligente e graças à vida que levava um grande conhecedor da arte. Sua vida muda com a chegada do sábio Abenthy à trupe, um Arcanista com o poder de nomear as coisas, Kvothe logo se torna seu aprendiz e como era de se esperar se mostra muito talentoso.

“Antes de começarmos, você precisa se lembrar que sou um Edena Ruh. Contávamos histórias antes do incêndio de Caluptena. Antes de haver livros em que se pudesse escrever. Antes de haver música para tocar. Quando a primeira fogueira crepitou, nós, os Ruh, já contávamos histórias no círculo de sua luz bruxuleante”. (Pg. 56)

Com a saída de Abenthy da trupe um tempo depois, o garoto tem de continuar a estudar sozinho, mas em uma noite seus pais cantam uma canção sobre o Chandriano - um antigo demônio –, resultando na morte de todos pelo próprio demônio, o único sobrevivente é o pequeno Kvothe.

Ele se vê obrigado a se virar sozinho, sem dinheiro, sem nada nem ninguém para protegê-lo além de sua esperteza, e com a sede de vingança ao demônio que dizimou sua família. Kvothe sofre muito nas ruas em uma sociedade violenta, sem piedade aos desfavorecidos, e é somente por sua sagacidade e inteligência que ele sobrevive.

Sua única esperança era entrar na Universidade e estudar para se tornar um Arcanista, lá poderia mudar sua vida, mas a trajetória que ele terá de percorrer é árdua e ao conseguir os sofrimentos continuam. Ele tem de lidar com nobres mesquinhos, a falta de dinheiro, professores excêntricos, os amores e desamores além de todos os mistérios e perigos que ficam a espreita, e sem nunca se esquecer de sua vingança.

Os personagens são únicos e de uma personalidade tão maciça que os tornam reais, humanos. Ri com Simon e Wilem, e quis matar Ambrose, as personagens femininas são outro espetáculo à parte algumas meigas como Auri, ou espertas e determinadas como Denna.

Kvothe em especial é complexo, doce, hipnotizante, durante toda a leitura e até mesmo depois imaginava como seria o brilho de seu cabelo ruivo flamejante e seus olhos verdes profundos, ele carrega as marcas de um passado difícil e um presente nada fácil, feito de mistério e bravura um verdadeiro herói e artista, sua música emocionava a todos. Kvothe tem a essência de um guerreiro que não mede esforços em defender aquilo que acredita, mas também tem medos e um humor delicioso e inteligente.

“As pessoas devem ficar perturbadas com seu cabelo. É tão luminoso! É muito... perturbador. E o seu rosto é realmente expressivo. Você sempre o controla, até mesmo o jeito de seus olhos se portarem. Mas não a cor.” (pg. 550)

O mundo criado por Patrick Rothfuss é intenso, repleto de fantasia, filosófico, bem estruturado e maravilhoso... Estou apaixonada pelos Quatro Cantos da Civilização, mais um cenário que vai viver sempre nos meus sonhos. Patrick criou um mundo novo, único e inigualável, em muitos aspectos parecido com o nosso, como a crueldade humana e a dificuldade em ser pobre. O livro tem a dosagem exata para ser ótimo, mas vai além e se torna impecável com um ingrediente secreto que faz com que a leitura seja fácil e descritiva ao mesmo tempo, se tornando clara como um filme.

Recomendo para todos, e se é fã de literatura fantástica é um livro obrigatório. Você vai termina-lo com o mesmo sentimento avassalador de puro amor como eu terminei, um livro completo, sem brechas, imperdível!


Classificação:
Ótimo

O Nome do Vento - Patrick Rothfuss 
Editora: Sextante
ISBN: 9788599296493
Ano: 2009
Páginas: 656
Skoob: Aqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...