15 março 2013

{Resenha} Cinquenta Tons de Liberdade


(Cuidado! Essa resenha pode conter spoilers de Cinquenta Tons de Cinza e Cinquenta Tons Mais Escuros
 É com muito pesar que faço a resenha de Cinquenta Tons de Liberdade, não por ter me decepcionado, pelo contrário... Deixe-me explicar melhor: quando comecei a ler essa trilogia com Cinquenta Tons de Cinza eu não tinha ideia do que esperar, sabia que se tratava de um livro polêmico cheio de admiradores e haters, mas resolvi dar uma chance para tirar minhas próprias conclusões. O primeiro volume apesar de ser irritante e superficial me fez ter vontade de continuar mesmo sem grandes expectativas para o segundo, mas quando li Cinquenta Tons Mais Escuros soube que estava em um caminho sem volta e que E. L. James acabara por me conquistar.

Comecei o último volume cheia de expectativas, que graças a Deus foram supridas. Para piorar acabei me apegando mais ainda a esse universo, e me despedir não foi fácil. Não havia como arrastar a leitura, cada maldita página era um mistério resolvido, o surgimento de outro, uma nova informação e assim elas foram devoradas acabando com minhas noites tranquilas de sono.

O livro inicia-se algum tempo depois do final do antecessor, nos colocando no meio da estória sem muitas explicações, mas a autora utiliza alguns flashbacks para nos deixar a par de tudo o que aconteceu. Eu realmente gostaria que tudo fosse narrado, mas a passagem de tempo foi necessária, pois muita coisa acontece e com o detalhamento tudo acabaria muito monótono e a trilogia acabaria sendo uma série.

Anastasia e Christian Grey estão felizes juntos apesar de todas as dificuldades de sua relação e do passado de Christian que continua a atrapalha-los. Ambos assumiram o risco dessa paixão e com toda a persuasão de Ana, que está disposta a juntar todos esses fragmentos da estória de Grey e junta-los para que eles possam então seguir em frente, aos poucos vamos descobrindo a verdade e tudo fica mais claro.

Mas uma “nova” ameaça está colocando em risco a vida de ambos assim como de todos ao seu redor, após o incêndio ocorrido na empresa de Christian e a sabotagem em seu helicóptero Charlie Tango ele se vê encurralado, sua mania por controle transborda e vemos seu lado mais protetor e paranoico, o que é motivo da maioria das brigas do casal, que eu particularmente adoro, elas são tão divertidas e tensas nunca acabam como você espera.

Sou apaixonada pela dinâmica deles, adoro seus momentos melosos, as discussões acaloradas, e os e-mails que são uma delicia de ler, além da química sufocante. É realmente difícil pensar em um casal tão diferente, mas que ao mesmo tempo se complementa e se entende de diferentes formas e tão profundamente. O romance de fato me convenceu e muito.

Ana aparece ainda mais madura, decidida, corajosa e cheia de personalidade, toda minha aversão do primeiro livro por ela foi extinta, além de sua sensibilidade em fazer com que Christian se abra para ela. E por falar nele... Mr. Grey nunca decepciona, e quando o faz se redime e nos faz suspirar ainda mais, me pergunto como alguém pode ser tão poderoso e inseguro, controlador e frágil, frio e sensível, frustrante e irresistível, e ai estão apenas alguns dos adjetivos que cabem a essa personagem, que se tornou uma das minhas favoritas por toda sua complexidade.

Temos mais ação nesse livro, mais movimento e muita informação para assimilar. As cenas hots continuam presentes com muito romantismo, mas sem perder a pitada de BDSM e o estilo de Christian. Ficamos a par de todos os mistérios, as pontas soltas são unidas, muitas dificuldades surgem e seu desenrolar é interessante. O final foi bem satisfatório e gratificante, chave de ouro mesmo!

A trilogia pra mim foi uma leitura bem gostosa, longe de ser impecável, mas a evolução da autora é visível e apesar de tudo conseguiu me fazer gostar bastante da estória em si se tornando um dos meus romances prediletos (isso mesmo, e não adianta olhar de cara feia, não vai mudar minha opinião, haha). O segundo livro com certeza acabou sendo meu favorito, mas o encerramento também manteve o nível, apenas o primeiro não é tão satisfatório.

Acabo o romance de Christian e Ana com muita saudade das discussões, das reconciliações, dos e-mails, das personagens secundárias, do meu Mr. Grey... Bem é melhor eu terminar por aqui antes que fique ainda mais sentimental. Ah, só não vou sentir saudades de duas coisas a Mrs. Robinson e a deusa interior da Ana.

Fazendo um parênteses: muitas vezes julgamos, criamos pré-conceitos, nos sentimos superiores por ler determinado tipo de livro, mas quando você menos espera uma trilogia que tinha tudo para ser mais um best-seller fútil e clichê acaba por te divertir, emocionar, te faz sorrir feito uma idiota enquanto lê, te faz torcer e sangrar pelas personagens... E o que mais um livro precisa? Se ele me diverte já foi válido, ele não necessita mudar sua vida, ser perfeito, ou sei lá... É aí é que está toda a magia do mundo literário, as surpresas, as diferenças. Então um conselho: não se prenda a opinião alheia, não é porque a critica de tal blog, tal pessoa, tal jornal diz que algo não é bom que você seja obrigado a concordar, não tentar ou ter vergonha em assumir que gosta. Tente, você pode ter uma doce surpresa.


P.S. Não se sou a única, mas estou de saco cheio de ler argumentos agressivos e desnecessários contra a trilogia e os fãs, andam confundido crítica com ofensa. Como diria Betty White: “Não entendo por que as pessoas sempre são tão anti alguma coisa. Cuide da sua própria vida, e não se preocupe com os outros.".


Classificação:
Ótimo

Cinquenta Tons de Liberdade - E. L. James
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580572162
Ano: 2012
Páginas: 544
Skoob: Aqui

2 comentários:

  1. bom, eu sou hater dessa série, mas gostei da forma como vc descreveu suas impressões sobre a trilogia... ^^

    bjs, flor...
    e vc Curte Caio Abreu??? Então confere meu post sobre ele no blog:
    http://torporniilista.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela resenha. Nada como expressarmos a nossa opinião a respeito de algo. Até gostei da história se tirar o exagero das cenas de sexo repetidas a exaustão. Pra mim não teria necessidade ser 3 livros, só tinha história para um.

    http://blogprefacio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...